quarta-feira, 21 de julho de 2010

QUEM TEM MEDO DE MONTE?

Por Alan Capriles
“E, despedidas as multidões, subiu ao monte, a fim de orar sozinho. Em caindo a tarde, lá estava ele, só.” (Mateus 14:23)
A prática de subir ao monte é uma questão mal resolvida no meio evangélico. Enquanto alguns fazem do monte um local sagrado, outros fazem zombaria dos que buscam a Deus em lugares assim. Entre um e outro extremo, há muitas pessoas confusas e somente poucas esclarecidas.
Como em tantas outras questões de fé, o equilíbrio é o caminho mais seguro. O extremismo é sempre desnecessário e improdutivo. E isto aplica-se também ao monte. Sinto-me a vontade para escrever sobre este assunto, pois costumo subir ao monte de uma a duas vezes por mês... E sem crise de consciência!
Por que subo ao monte? Pela mesma razão com que Jesus também o fazia: para estar a sós em oração (Lc 6:12). Respeito quem pensa diferente, mas não vejo sentido algum em subir ao monte acompanhado.
Tal como Jesus, devemos subir ao monte para estar a sós com Deus. Mas nem todos pensam assim. Sempre que subo ao monte, passo por irmãos que estão em grupo. Alguns estão orando, outros louvando, e outros fazem cultos completos, com direito a testemunhos e apelos. Como eu disse, “passo” por eles. Procuro um lugar mais afastado, em que eu possa meditar e orar sem distrações, ou interrupções. E longe do “barulho” também. Ora, reuniões em grupo nós já fazemos no templo, ou em casa. Não é preciso subir ao monte para isso.
Claro que já subi ao monte acompanhado de irmãos. Mas, nunca por acreditar que o monte seja um local sagrado, no qual Deus responde mais depressa nossas orações. Lamentavelmente, muitos têm este pensamento equivocado, de que a adoração no monte seja mais aceita por Deus. Quanto a isto, podemos aplicar aqui a resposta de Jesus à mulher samaritana:
“... nem neste monte, nem em Jerusalém adorareis o Pai. (...) Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores.” (João 4:21b,23)Quem faz do monte um lugar sagrado está se afastando do Pai, ao invés de aproximar-se dEle. Digo isto porque aquele que está em Cristo deveria saber que o seu corpo é o lugar sagrado, onde habita o Espírito Santo de Deus (1Co 3:16,17)
Como se pode notar, a questão não é o monte, mas o motivo pelo qual se vai ao monte.
Particularmente, subo ao monte para meditar e estar mais a sós com Deus em oração. É claro que também tenho meu devocional diário em casa. Mas, definitivamente, não é a mesma coisa. Quando estou orando em casa, mesmo que eu desligue o telefone, posso ser interrompido por uma visita inesperada, ou até por minha própria família. No monte consigo estar mais concentrado em Deus. Além do mais, a vista que tenho do alto do monte é inspiradora, e favorece a meditação na Palavra. É indescritível a experiência de orar contemplando o pôr do sol, a cidade vista do alto e tendo o céu por testemunha! Mas isto é muito pessoal...
No final de 2009 gravei um pequeno vídeo no monte que costumo subir. Ele pode ser visto em meu blog, ou na minha página do Youtube. E pode ser mal interpretado também. Quem assisti-lo com atenção perceberá que não estou incentivando ninguém a subir ao monte. Meu vídeo é um conselho a que se adquira o hábito de estar a sós com Deus. Charles Finney revelou, em um de seus livros, que este era o seu segredo para manter-se cheio da unção do Espírito. Finney costumava retirar-se para buscar a Deus em uma floresta.
E temos este maior exemplo no próprio Senhor. Jesus procurava lugares desertos para estar a sós com o Pai (Lc 5:16). Geralmente, o Monte das Oliveiras era este lugar (Lc 22:39).
Algumas pessoas interpretam erradamente a orientação do Senhor de se orar trancado no quarto (Mt 6:6). Concluem que Jesus estaria proibindo a oração pública. Sabemos que não há tal proibição, pois o próprio Senhor Jesus orou publicamente e também os seus discípulos. Paulo escreveu que devemos orar “em todo lugar” (1Tm 2:8). Na realidade, o que Cristo estava combatendo é a motivação errada de se orar em público “com o fim de ser visto pelos homens” (Mt 6:5). Ao mesmo tempo, o Senhor nos ensina que o Pai vê em secreto e que a fé de quem ora em secreto será recompensada. Este secreto com Deus pode ser no quarto, no monte, ou em qualquer outra parte.
Quanto a mim, tenho a vantagem de morar perto de um famoso monte de oração. A prefeita da cidade onde moro, que é evangélica, fez obras de infra-estrutura e até mudou o nome do local para “Monte das Oliveiras”. Com isto a freqüência aumentou, tornando-o mais seguro.
Por falar nisso, segurança é algo que precisamos considerar. Hoje em dia está cada vez mais perigoso estar sozinho em meio à natureza. Conheço pastores que já foram assaltados no monte e ouvi casos de irmãs que foram vítimas de abuso. Nos dois casos era noite e o monte estava deserto. Não é prudente subir ao monte nestas condições. Qualquer local deserto se torna mais perigoso à noite. Seja no monte, numa praia, ou numa floresta, devemos ter prudência, do contrário estaremos cometendo o pecado de tentar ao Senhor.
Mas, tomando-se as devidas precauções, ninguém precisa ter medo de ir ao monte. A não ser que você tenha medo dos desocupados que ficam na subida do monte entregando “profetadas”. Se este é o seu caso, seu problema não é o monte, mas a sua teologia.

Fonte: http://www.alancapriles.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário